Atenção estudantes de Engenharia Química – Instrumentação e Controle de Processos Químicos ano letivo 2013

Frente as constantes faltas de energia elétrica, só aqui em casa foram 2 vezes na manhã desse domingo, uso esse espaço para modificar a data de entrega do trabalho referente a avaliação do quarto bimestre para, impreterivelmente, 23:59 de terça-feira, 25 de fevereiro.

Por outro lado, reafirmo que a estratégia de fazer a mesma coisa que os estudantes do ano anterior fizeram, de desistir e não realizar a sintonia conforme solicitado, alegando dificuldades, ou “necessidade de conhecimento avançado”, NÃO SERÁ ACEITA. 

Não quero ser, de maneira nenhuma, rude. 

Vários são os fatores que levam ao insucesso. Alguns deles foram, são e serão: a falta de método, a falta de registro das alterações no programa simulador, a falta de registro da lógica do programa, o não entendimento da lógica do programa, a variabilidade associada com o programa simulador (em malha averta ou com controlador diferente), a própria natureza do problema, exigindo ganhos extremamente altos (afinal pH é -log[H(+)], exatamente para diminuir a faixa de concentração muito grande), o exagero no uso do método da força-bruta (infelizmente vários estudantes não sabem que a diferença entre um mero “chute” e a boa suposição, ou escolha inicial, é o conhecimento por trás dessa suposição, e a falta dele num “chute”) , a procrastinação, a auto-limitação, o contentamento com um grau baixo de avaliação, a falta de planejamento, e muitos outros. 

Por isso que se estuda, no mínimo,  200 minutos por semana, durante um ano letivo de 36 semanas. Eu escrevo “se estuda”, porque se for para “assistir” aula, recomendo “assistir” cinema, TV, vídeos, etc. 

Essa diferença é básica. E está esquecida hoje em dia. 

Ao longo dessas 36 semanas foram trabalhados conceitos que agora voltaram à tona: “rangeabilidade” de válvula de controle, abertura de válvula, relação direta e inversa entre variável controlada e manipulada, equação da válvula, balanço material aplicado ao controle de processos, filtro de saturação (relé), sintonia em malha aberta x sintonia em malha fechada, secções de um programa simulador, método numérico de solução de EDO, etc. 

Além desses aspectos, a negligência em disciplinas anteriores,  como computação e cálculo numérico, provoca a extrema dificuldade em trabalhar com o programa simulador dinâmico.

Por isso o curso de Engenharia Química leva, no mínimo, 5 anos na FURG. Há uma integração de conhecimentos, que devem ser trabalhados em  muitos disciplinas, e não meramente “assistidos”. Em uma área tão interdisciplinar como Controle de Processos Químicos  essa dependência do arcabouço de saberes/fazeres trabalhados em outras disciplinas fica explícita. 

Para vocês terem uma noção de como as mentes de alguns estudantes estão longe, nós não havíamos combinado, na primeira aula,  que para eu achar os emails mais rapidamente, deveria constar no corpo do email meu nome ?

Ontem, ontem à noite havia estudante perguntando meu email !!!

Era isso. 

“RENATO”.

P.S.: muito emails chegaram ontem e não foram recebidos, pois eu fui (7h) e voltei ontem mesmo (20h) para Santa Maria, dirigindo os 680 km de ida e volta, por motivo muito sério de saúde na família.  

Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s